BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

O Som duma Guitarra - Daniel Cristal


Aquele marulhar é uma sereia
na voz do mar e ele volta-e-meia
chama brada e seduz especialmente
quando o Inverno esfria o corpo quente
 
Quando o Inverno fustiga e nos recorda
o Sol da Primavera ou do Verão
somos uma formiga que acorda
e inflecte numa nova direcção
 
 
Sereia a marulhar nas nossas veias
o som da sedução no qual lhe peço
o timbre que enleva e nos enleia
 
É a ânsia de apressarmos sem regresso
o solstício de Junho ao ser cigarra
a festejar o som duma guitarra.

6 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

O SOM DUMA GUITARRA, seu soneto se parece a um concerto de notas suaves saudando o por do sol, onde confunde-se com os rumores duma cascata, que parece quebrar a aspereza de sua queda, cedendo à doce influência desta tarde aqui em Balneário Camboriú. Meus cumprimentos ao mestre Armando Figueiredo, este soneto é divinamente belo de se ler, pois vou ouvindo o Som desta Guitarra até não haver mais horizontes,
Efigênia Coutinho

Anónimo disse...

Saudades, Querido Amigo!
... E trazes-me um soneto cantando o meu tema dilecto, tão lindo!
Entranha-se na minha alma e desperta centenas de letras em que, também eu no me jeito livre, expresso o mesmo sentimento.

Um grande, saudoso abraço,
Maria Petronilho

Pequenina disse...

(O Som duma Guitarra)Olá Mestre Poeta, a tua poesia faz-me ouvir o divino som da guitarra, o sussuro do mar e até mesmo o canto de uma cigarra, todos em perfeita sintonia, um bálsamo para a nossa alma!
Parabéns, Mestre!
Beijos... Pequenina

Anónimo disse...

Prezado Armando Fig°,

Sua poesia é extremamente agradável. E esta é especial!
Abraços fraternais
Sérgio - REFORME

DIFERENTE disse...

Belo Poema, bela homenagem à Guitarra!!!
Muito bonito... parabéns!

ASS: Diferente

Anónimo disse...

Daniel,
Lindo! Adorei.
Abraços
Alba Pires Ferreira