BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Se a Turba - Daniel Cristal


Nunca dou de barato qualquer acto,
e se a turba não liga ao que digo,
então eu digo: nunca mais eu ligo
ao lixo que, no outro, é um facto.
 
Se a turba não responde ao que eu exprimo,
que se lixe a orelha gasta e mouca
desta gente caduca que apouca,
e até a do primata que é meu primo.
 
Se o mal teima em grassar, que nela grasse,
desde que eu não deixe de amar
a pessoa que nos faz diferenciar.
 
Que nela grasse o ódio e a enlace,
que nunca mais se veja livre dele,
que a mate e esfole, alma e pele.

3 comentários:

Anónimo disse...

Se a Turba - Daniel Cristal :
Nunca dou de barato qualquer acto,
e se a turba não liga ao que digo,
então eu digo: nunca mais eu ligo
ao lixo que, no outro, é um facto.


Mestre Armando Figueiredo, sempre prefiro seu estilo mais lírico, mais quando
o poeta escreve um soneto na forma satírica, eu me rendo de verdade, onde dizes
a verdade, uma multidão desordenada (turba). Infelizmente estamos cercados
de pessoas agindo desta forma, uma pena, pois a poesia deveria unir os verdadeiros poetas,
numa troca fraterna , onde a solidariedade são as maiores companheiras para o sucesso de todos juntos.
Meus cumprimentos ao Mestre,
com admiração,
Efigênia Coutinho

Sylvia Narriman disse...

Olá, Daniel. Gostei do seu poema " Se a turba", com exceção do último terceto..." O Som duma Guitarra" está perfeito! Parabéns, grande poeta. Beijos.

Anónimo disse...

Concordo com a amiga Efigênia: você, nobre poeta, se supera quando compõe versos de amor...Continue amando muito, para nos alegrar o coração e alma com seus poemas maravilhosos. Grande beijo.

Sylvia Narriman Barroso
www.passagensemarcas.blogspot.com
www.estacoesdavida.blogspot.com