BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Adivinha - Daniel Cristal

Para a PoetAmiga Carmo Vasconcelos no Dia do Amigo


É uma palavra simples, muito pura,
Um signo absoluto na essência,
Um sinal com função de sapiência,
E, quando feita verbo, nos apura.

Sem ela não há vida que nos valha;
Ausente, tudo é vão defeituoso,
O homem fica ignóbil perigoso,
E a sua acção mostra a sua falha.

Da palavra ao verbo, a via é fácil:
Basta emocionar o coração,
Viver a humanidade com-paixão.

Mas, sendo ela dentro, o ser é grácil:
Encoraja a viver perto da cruz,
E, contrária ao ódio, jorra luz.

1 comentário:

Carmo Vasconcelos disse...

PÉROLAS - CARMO VASCONCELOS

Pérolas que preservo com rigor
São versos em dueto primoroso
Se de um poeta da arte extremoso
Me chegam com mestria e com amor
Doação generosa e despojada
Carinho a um irmão de caminhada

E amam-se tais peças entre elas
E amam-se pelo verbo os poetantes
Próximas penas ou mesmo distantes
Numa entrega de almas sem querelas
E mais se vão querendo dia-a-dia
Em arroubos de mágoa ou alegria

Que a poesia é como a filha que assim
Doada à luz por entes separados
Não deixa de ter seus dons festejados
Por quem faz da palavra um festim
Que se amem os poetas nesta gesta
Alçado o seu voejar em céus de festa

Obrigada, amado poeta-irmão Daniel por trazeres à luz este honroso dueto do ano 2005

Com amor
Carminho