BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

terça-feira, 21 de abril de 2009

Aves e Toupeiras - Daniel Cristal


A toupeira não voa; não a queirais
com asas nos portais. Ela nasceu
para esburacar nossos quintais
e não para voar no ar como Orfeu

Deixai-as esburacar todo o terreno,
não queirais que se elevem no espaço
porque o seu território é lugar pleno
da ave que ilumina o sol baço

A ave voa chilreia canção de fado
saúda todo o dia o seu futuro
e a toupeira lavra mais um furo

A ave e a toupeira não se entendem,
cada qual tem lugar bem reservado
e nem sequer prò mesmo lado pendem.

2 comentários:

Francisco Vieira disse...

boa noite amigo
passei para o cumprimentar apenas
bonito o poema
abraco

dilailasilvexhttp://dilailasilvex.blogspot.com/search?q= disse...

olá boa tarde, no dia da terra, esta bem uma toupeira.
1 beijo Ly