BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 22 de abril de 2009

O universo - Daniel Cristal


I
 
Já alguma vez colocaram a hipótese de o Universo ser Nada, de não existir coisa nenhuma? Podia efectivamente não existir substância alguma. E se houvesse Nada, não haveria a consciência do que é existir. Existir nada, também seria uma forma de existir sem a consciência da existência. Nunca esse existir teria consciência de existir, assim, com carne e osso, um rosto, tronco e membros num mundo mais ou menos feito à nossa medida com necessidade de mais alguns ajustamentos futuros... provavelmente os mais importantes e definitivos. Se existisse Nada, a consciência seria obviamente nula. Nem haveria dor nem amor; nem mesmo uma ânsia-angústia, ou poder instintivo de vivência progressiva, radicada no neutrino, com uma energia sem matéria medível nem forma conhecida. Já imaginaram esse Tudo-Nada, o Vácuo, o Vazio infinito, a inexistência da matéria e forma, tais quais as conhecemos? Pois, se não imaginaram, imaginem, e toda a compreensão do mundo se altera como consequência! Somos, então, presumo, um produto com origem numa força etérea, duma obra que é feita momento a momento ao ser gerada evolutivamente, e em que todos somos agentes e resultado da nossa acção conjunta. Somos nesta ordem de ideias, creio eu, e começando logicamente pela origem, mais energia do que matéria. E também penso que ainda não nos apercebemos totalmente desta poderosa consciência do pensar/agir, capaz de realizar sonhos e utopias... consciência esta que poderia resultar num importante benefício urgente para toda a Humanidade.
 
II
 
Se não existisse substância alguma, Tudo seria Nada. Mas isto não quer dizer que estes dois semas, não existissem. Seriam capazes de existir sem a consciência, no caso do Tudo-Nada, ainda que essa consciência pudesse não ser revelada. A revelação vem da alteração do Nada para Tudo com o próprio surgimento desta faculdade. A metamorfose dá-se realmente pela transformação do neutrino em outra potência mais material, mais sólida, que não é mais casulo energético, depois da mudança. O girino será rã, o casulo será lagarta, a lagarta será borboleta, a semente será uma das espécies da flora, o botão, flor, sinais imperfeitos, poder-se-iam considerar, das alterações das formas e das substâncias. O aperfeiçoamento dos seres na evolução das espécies, adaptando-se cada vez mais às condições terrestres adversas, é uma luta energética a favor da continuação da vida nos seus diversos moldes e conteúdos. Afinal, a origem é a energia vital imprimida e programada, que comanda o percurso de todas as criaturas 'ab-initio' no estado em que se encontram neste Universo "misterioso". Esta compreensão ajuda-nos a entender a existência evolutiva de um Mundo que não é unicamente material, mas preponderantemente energético (espiritual, anímico). Interiorizada esta noção existencial, todos os universos paralelos, diafanamente estratificados, são possíveis, e ainda que variados (ou entendidos como diferentes na sua concepção), todos não serão mais do que a constatação de que eles existem, quanto mais não seja na mente de quem assim pensa com resultados consideráveis na validação de outros mundos, além deste substantivo, visível e pesável. Além disto, também sabemos que a força espiritual domina grande parte do trajecto do Homem no planeta Terra que o alberga. É comummente aceite (ainda que haja alguns poucos que se excluem desta conclusão) que a alma gera forças que condicionam o 'modus vivendi', e, se colectivizadas podem produzir efeitos modificadores e edificadores da consciência globalizada; pode ainda descobrir recalcamentos nefastos no indivíduo, o que é uma maneira de se poder corrigir actuações nevrosadas, doentias, basicamente, levando-nos à concepção de que é a alma que nos conduz. Podem especular quanto quiserem sobre distintas outras concepções gerais, porém, profundamente, o que importa é entender a essência do que está por trás de todas as possíveis aparências, mesmo que difiram conceptualmente entre si na sua idealização.
 
III
 
Se a luz do Nada cega o Tudo, a massificação do Tudo cega o Nada. E o mesmo acontece com a cegueira do Vazio, do Vácuo. E quem diz etéreo confunde-o com a imaterialidade. Só que o etéreo contém energia, essa que apesar de não ser perceptível, existe de facto.
 
Esta coordenação de ideias conduz-noz ao mundo da imperceptibilidade. Assim como existe o mundo pesável, medível existe outro que é etéreo, volátil, inverificável. Nem sequer esses "mundos" são paralelos, porque eles existem amalgamados, unificados. Mas se um deles parece amorfo, duma dureza quase impenetrável, a verdade é que é o outro (apenas distinguido por necessidade de o caracterizar pela diferenciação), que conduz simultaneamente a evolução de formas e substâncias unificadas. Como se fosse um motor com outro lá dentro: o primeiro rígido, perfeito objecto concluído, porém com outro que consegue aperfeiçoá-lo cada vez mais; sim, como seja qualquer coisa ao mesmo tempo material e imaterial. Diríamos sobretudo que é energia com matéria. E dizemos energia para não dizermos Alma. A Alma é outra coisa que se junta a todo o exposto como qualidade da concepção humana a enformar a diacronia do trajecto.

3 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

O Universo, não deixa de ser também uma fantasia , que há muito tomou emprestada a idéia de um outro mundo da mitologia, lenda e religião. Céu, Inferno, Olimpo, Valhala, são todos universos alternativos diferentes do mundo físico familiar em que vivemos. A fantasia moderna freqüentemente apresenta o conceito como uma série de planos de existência onde as leis da natureza diferem, permitindo a existência de fenômenos mágicos de algum tipo em alguns planos. Em outros casos, tanto na fantasia quanto na ficção científica, um universo paralelo é uma outra realidade única e sua coexistência com o nosso é um princípio.

Muito bom seu texto sobre o Universo, onde podemos apreciar uma dimensão dos seus pensamento desta coexistência Universal.
Efigênia Coutinho

Francisco Vieira disse...

"Se não existisse nada, a consciência seria obviamente nula. Nem haveria dor nem amor; nem mesmo uma ânsia-angústia, ou poder instintivo de vivência progressiva, na forma de neutrino, com uma energia sem matéria medível nem forma conhecida. Já imaginaram esse tudo-nada, o vácuo, o vazio, a inexistência da matéria e forma, tais quais as conhecemos?"

pois...nao consigo imaginar realmente como seria o nao sentir falta de nada...mas tambem, nao sentiria a necessidade de sentir algo, nao e?!

Abraco
Francisco

Daniel Cristal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.