BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 2 de abril de 2009

A Poesia é um Templo - Daniel Cristal


Entro no sagrado Templo com a alma
alegre e feliz por ser a salvação
da contradição; por ser esta amálgama
em que ómega e alfa são uma união;
alegre e feliz eu entro em efusão.

Feliz é o estado simples que me habita
da alma ao coração: o estado mais querido
em que o que se quer, nos é oferecido.
Alegre porque é o impulso duma vida
que festeja o facto belo, o mais sentido.

A Poesia é um Templo nu, sem ornamento;
é o alimento único ao sustento
dum sedimento que anula o sofrimento
do ser, do fingir, do agir, com o unguento
que transforma em paz o íntimo violento... 

Entro no sagrado Templo com a paz
do Amor, promovendo a festa da existência
numa dependência simples, como faz
o coro da Igreja única, essência,
mãe e virgem santa, pura benquerença.

A Poesia perfuma a vida, colora o ser,
musica a alegria, cativa a alma aberta,
seduz todo o Bem que envolve o crer e o parecer,
amalgama todo o Amor na gama certa,
substitui o mal do ser por grande festa

1 comentário:

Efigênia Coutinho disse...

A Poesia perfuma a vida, colora o ser,
musica a alegria, cativa a alma aberta,
seduz todo o Bem que envolve o crer e o parecer,
amalgama todo o Amor na gama certa,
substitui o mal do ser por grande festa.


Uma verdade em seus versos Daniel Cristal,a poesia, no sentido duma linguagem verbal, e, através de uma atitude criativa, transfigura-a da sua forma mais corrente e usual (a prosa), ao usar determinados recursos formais. Em termos gerais, a poesia é predominantemente oral - mesmo quando aparece escrita, a oralidade aparece sempre como referência quase obrigatória, aproximando muitas vezes esta arte da música. Este seu Soneto é um verdadeiro TEMPLO POÉTICO,
Efigênia Coutinho