BEM-VINDOS

Obrigado pela sua chegada; não se esqueça que é de AMOR AGAPIANO* que essencialmento poeto, também erótico quando a propósito de algumas circunstâncias episódicas nas mais diversas proporções. Como estou avança(n)do no tempo, não se escandalize, porque o que é preciso erradicar do Mundo é o preconceito secular, topo onde está preponderantemente a regressão da Humanidade neste percurso da condição humana, nem sempre adequada ao futurecer* do Homem, albergado corporalmente neste Planeta, sem saber com precisão, na generalidade, onde está a sua/nossa Alma. [ Obs. os astericos* assinalam dois neologismos da nossa Língua ].

Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 8 de junho de 2009

2ª variação


Não é da redenção da nossa cruz
Que versamos um tema até ao fim.
É da fome e da miséria, essas sim,
Que no céu nos reduz a própria luz!

Grande fome explorada pelo homem
condutor da miséria - a que resulta,
numa senda com a moral estulta
definhando famintos que não comem!

Haver fome é este o grande enigma
Transformado num louco paradigma!

1 comentário:

Efigênia Coutinho disse...

DANIEL CRISTAL
Suas poesias sobre " O Paradigma Da Fome "me fizeram recordar deThomas Kuhn, físico americano célebre por suas contribuições para nossa história e filosofia da ciência em especial do processo que leva à evolução do desenvolvimento científico, designado como paradigmáticas, que geram arquétipos que, por períodos mais ou menos longo e de um valor mais ou menos explícito, orientam o desenvolvimento posterior das pesquisas exclusivamente na busca da solução para os problemas por elas suscitados.

Aqui refiro-me ao grande problema da "fome", abordado em sua bela poesia.

Contudo ainda acho que existe entre nos poetas, à fome da "alma", em poder através dela desenvolver dentro da poesia traços como este seu " O Paradigma Da Fome - Daniel Cristal ", levando-nos a momentos de muita reflexão dentro na nossa própria vida, onde nos perguntamos!

O que fazemos para amenizar
"O Paradigma Da Fome ".

Efigênia Coutinho
Escritora